Ar condicionado - O mercado mundial em análise
Download PDF

Recentemente foram apresentados os mais importantes estudos sobre o mercado de equipamentos de ar condicionado no mundo. Os maiores especialistas nesta matéria andam muito perto na análise do que foi a realidade em 2007 e sobre o que se espera até 2012. Avaliado em 62 mil milhões de dólares, o mercado do ar condicionado registou um crescimento de 10% em relação a 2006 mas até 2012 vai haver um abrandamento. O mercado crescerá entre 6 a 7% anualmente e a Europa vai andar bastante abaixo destes valores. Destaque para a subida dos VRF´s que está a roubar terreno aos splits comerciais e aos chillers, nas obras de maior dimensão em todo o mundo.

A nossa revista em colaboração com duas conceituadas empresas de estudos de mercado, a Freedonia Group norte americana e a BSRIA - Worldwide Market Intelligence, especialista em estudos de mercado no sector de AVAC, teve acesso às mais recentes análises e avaliações sobre o mercado de ar condicionado no mundo. Desde logo, as conclusões apontam para um crescimento mundial anual entre 6% e 7% até 2012. Mas segundo estes especialistas, o mercado europeu posiciona-se hoje em terceiro ligar no mercado de AVAC logo atrás do continente americano e Ásia. No entanto, as semelhanças em número de população, as exigências pessoais ao nível da saúde, conforto e estilo de vida, a par dos índices de desenvolvimento da economia, infra-estruturas, industria? colocam a Europa ao lado dos EUA e cada vez mais perto do continente americano no seu conjunto. Feitas as contas e de acordo com a BSRIA, no sector de AVAC, mais concretamente na área do ar condicionado, o continente americano fechou o ano anterior com 15 mil milhões de dólares de vendas de mercado e a Europa com 13 mil milhões.

Tema Capa_02


Em 2007 o mercado mundial de ar condicionado foi avaliado em 62 mil milhões de dólares, apresentando um crescimento de 10% em relação a 2006 que alcançou 55 mil milhões de dólares. Embora os EUA tenham registado valores de mercado pouco superiores aos da China em 2007, espera-se que em 2008 a diferença entre estes 2 países se acentue mas com a China a ultrapassar os EUA. O crescimento exponencial que continua na China e a desaceleração do mercado americano motivada pela saturação no sector de AVAC e a crise económica serão os principais factores. Em quarto plano temos o Médio Oriente, a Africa e a Índia que representam 5 mil milhões de dólares. Uma tendência que também muito rapidamente se poderá alterar. Segundo a Freedonia Group, a Índia estará acima das previsões médias motivada pelo contínuo crescimento da construção e do rendimentos per capita. Para Andrew Giles da BSRIA (ver entrevista pág. 16), a Índia terá um papel cada vez mais importante, mais nas soft skils do que como grande fabricante.

Tema Capa_03


De acordo com os especialistas, o crescimento da Europa não irá acompanhar os índices globais estimados e é o crescimento dos países emergentes que está a equilibrar a balança. No entanto e de acordo com a Freedonia Group, se considerarmos 2 períodos na Europa: 1997-2002 e 2002-2007, houve uma acentuada subida de valor de mercado (cerca de 5% média/anual) nos últimos tempos. Mas ainda de acordo com esta empresa, vamos assistir a um abrandamento anual (perto dos 4%).

Nas previsões apontadas, ressalta que o perfil do mercado mundial está a mudar drasticamente. Segundo dados da BRSIA, em 2007, a subida dos VRF´s está a roubar terreno aos splits comerciais e aos chillers nas obras de maior dimensão. O segmento dos VRF´s foi avaliado em 5 mil milhões de dólares muito perto do valor de mercado dos chillers, estimado em 7 mil milhões de dólares (excluindo os ventiloconvectores, as unidades de indução e as UTA's).

Tema Capa_04


O mercado em análise

O aquecimento global e as respostas ao nível da eficiência energética e consciência ambiental têm sido determinantes no sector de AVAC. As tecnologias "verdes" têm representado recentemente uma aposta e um investimento estratégico das marcas e contribuído para um significativo impacto no mercado da procura do ar condicionado a nível mundial. Assim e de acordo com a análise da BSRIA, a procura de equipamentos tecnologicamente avançados tem alavancado as vendas dos equipamentos inverter, heat recovery e dos VRF´s. O destaque vai mais uma vez para os VRF´s, o segmento que apresenta os melhores resultados previstos com uma taxa de crescimento anual de 15% entre 2006 e 2012. Logo atrás surgem os mini splits acima dos 5kW, cujo crescimento expectável é de 10% por ano durante o mesmo período.

Ainda de acordo com a BSRIA, o mercado residencial e do pequeno comércio (splits, aparelhos de janela, portáteis e amovíveis) avaliado em 39 milhões de dólares registou um crescimento de 14% em 2007 com domínio absoluto dos minisplits.

Tema Capa_08


Os países tradicionalmente consumidores de aparelhos de janela tais como o Brasil, México, China, Índia e Estados Unidos da América? viram-se agora para os minisplits, verificando-se em 2007 já uma notória descida dos aparelhos de janela. EUA e Índia, os primeiros da lista neste tipo de equipamentos descem drasticamente as vendas embora esta desaceleração seja menos acentuada na Índia pelo factor preço que estes aparelhos ainda representam. Já muito enraizados na Europa, os minisplits continuam a ganhar terreno em todo o mundo. Com 24 milhões de unidades vendidas em 2007, a China é o maior produtor e liderou as vendas destas soluções representando perto de metade do registado no mundo inteiro. Em 2011 as vendas do mercado chinês neste segmento de produto situar-se-ão nos 35 milhões de unidades.

Tema Capa_07


Os 10 mercados de minisplits com mais crescimento previsto de 2006 a 2011 (acumulado).

Mas tal como já foi referido, é no segmento dos VRF´s que se registam as maiores subidas e as previsões apontam para que essa tendência continue até 2012. Este segmento representou 5 mil milhões de dólares em 2007, um valor muito perto do mercado dos chillers (excluindo as UTA's e VC's) estimado em 7 mil milhões de dólares no mesmo ano. De facto, as previsões para os VRF´s não podiam ser mais favoráveis para este segmento de produtos que espera alcançar subidas anuais na ordem dos 15% em termos de valor até 2012. Dentro desta gama de produtos, destaque ainda para os chillers centrífugos onde se prevê um ligeiro crescimento em relação aos outros tipos de chillers. Mas aqui a explicação vai para o desenvolvimento de grandes obras projectadas no Médio Oriente e BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), não tendo a Europa implicação directa nesta realidade.

Tema Capa_09

 


 

No que se refere aos chillers, a China manteve a liderança em 2007 alcançando um valor de mercado na ordem dos 1.6 mil milhões de dólares. Mas o rápido crescimento de 19% no mercado do Médio Oriente e África aponta para que em breve, em 2010, estas regiões em conjunto ultrapassem o total do mercado americano. A BRSIA sublinha ainda o potencial de crescimento que se espera na Índia para os próximos anos para este tipo de produtos. Segundo os dados avançados pelos autores deste estudo, a Índia que em 2007 ocupa o sexto lugar no ranking dos chillers, rapidamente chegará aos primeiros já que em 2011 é esperado um valor de mercado para este país emergente na ordem dos 360 milhões de dólares. Ao contrário do boom registado com os chillers centrífugos, é notória a tendência para o desaparecimento dos chillers alternativos dos principais mercados, reservando-se a sua utilização apenas nas aplicações de arrefecimento de processos industriais.

A China no mundo AVAC

A China é actualmente a quarta maior economia a nível mundial, com uma população de 1,3 mil milhões de habitantes. Depois de nos últimos 5 anos o crescimento do PIB se ter situado nos dois dígitos com um máximo de 11.4% em 2007, o maior nos últimos 13 anos, o governo Chinês anunciou um crescimento para 2008 de apenas 8%, a fim de consolidar a estrutura económica e implementar a produtividade, a eficiência energética e a protecção do ambiente. Com um volume de vendas de 12 mil milhões de dólares em 2007 espera-se que em 2008 este gigante dê um salto e ultrapasse aos E.U.A. e a Europa (ver gráfico de países). Só nos minisplits, em 2007, a China foi responsável pela venda de cerca de metade destes equipamentos no mundo inteiro e espera-se que atinja os 35 milhões de unidades até 2011. De facto, o produto dominante neste mercado continua a ser os minisplits entre ao quais as unidades simples representam 96% do total em volume. No que diz respeito a aparelhos de janelas e outros, a grande maioria destes produtos são produzidos para exportação e apenas um número reduzido se destina ao mercado interno. Até 2006 os preços das unidades destinadas ao sector doméstico estavam em declínio, no entanto a tendência agora mudou. Muitos fornecedores reivindicam que o aumento do custo das matérias-primas tem-nos forçado a aumentar também os preços mas, uma vez que os consumidores estão a tornar-se mais conscientes das marcas e menos sensíveis aos preços, prevê-se que o aumento dos preços se mantenha.


Na China durante 2007 foram produzidas cerca de 90 milhões de unidades de ar condicionado o que satisfez 70% da procura mundial destas unidades.

Devido ao objectivo que se propõe o governo chinês de reduzir os problemas de falta de electricidade, as vendas de chillers de absorção na China aumentaram em 33%. O mercado de unidades de tratamento de ar também registou um crescimento, tendo a vasta maioria das vendas resultado de vendas de unidades abaixo de 10 m3/s.

Minisplits e VRF

Os minisplits continuam a ser o tipo de produto dominante no mercado chinês, com as vendas a atingirem cerca de 8 mil milhões de dólares em 2007. As empresas com capital chinês dominam o mercado há muitos anos. Calcula-se que as três empresas dominantes possuam uma quota de 55% do total de vendas neste mercado. A concorrência no mercado de minisplits continua muito aguerrida. Muitos dos principais intervenientes vêem a sua quota de mercado a aumentar, o que faz com que o mercado se tenha tornado menos fragmentado nos últimos anos. A maioria das unidades minisplits é do tipo bomba de calor. As unidades só com arrefecimento representam apenas 26% do mercado total em termos de volume. As unidades murais são o tipo de unidade interior mais popular, com 63% da quota de mercado. A Daikin é claramente líder de mercado em produtos VRF e possui uma quota significativa no mercado de minisplits. As vendas de produtos VRF são impulsionadas pelo crescimento do mercado habitacional do segmento alto, particularmente na área de Xangai. No entanto, 75% das vendas continua a fazer-se no sector comercial.

Unidades autónomas

As marcas americanas como a McQuay (Daikin), JCI (York), Trane e Carrier dominam o mercado das grandes unidades. Prevê-se que o mercado de unidades autónomas de condutas cresça, a partir de 2007, cerca de 7% por ano. Em 2006, foram vendidas 105.400 destas unidades na China. No que se refere às rooftops, este produto é geralmente importado devido à fraca procura.


Chillers

A China constitui o maior mercado de chillers na Ásia; o total de vendas de chillers atingiu 82.816 unidades em 2006. Os chillers mais pequenos representam 41% dos produtos neste mercado. Os chillers alternativos não estão a desaparecer do mercado tão rapidamente como se previa anteriormente. Os chillers com compressores scroll estão a tornarem-se rapidamente no produto dominante neste mercado, representando já em 2006, 74% em termos de volume.

Unidades de tratamento de ar e ventiloconvectores

Além da crescente procura de chillers, as unidades de tratamento de ar e ventiloconvectores também têm registado maior procura. No primeiro caso, o mercado sofreu um crescimento acentuado; o volume total de vendas destes produtos em 2006 atingiu as 145.000 unidades. As vendas de ventiloconvectores em 2006 atingiram 1.577.000 unidades.

No que se refere ao mercado interno, as empresas chinesas estão com uma presença cada vez mais forte. Anteriormente, as grandes empresas internacionais dominavam o mercado, mas hoje em dia as empresas chinesas como, por exemplo, a Haier, a Midea e a Gree, estão a assumir o protagonismo.

No final de 2007 a Gree, uma das maiores senão a maior marca chinesa, tinha mais de 4000 lojas espalhadas pela China que venderam 50% do seu total de vendas. Outra Marca Chinesa, a AUX prepara-se para abrir no país 3000 lojas durante o corrente ano. A diferença de preço entre as marcas chinesas e as estrangeiras é actualmente insignificante e este ano olímpico deverá ser aproveitado para os fabricantes chineses mudarem o "mal afamado" "Made in China" por um novo "Created in China" que adiciona características aos produtos para satisfação das necessidades dos consumidores


Caixa

O PIB (Produto Interno Bruto) Chinês em 2007 alcançou 24.66 biliões de yuans -3.42 biliões de dólares - ocupando a posição de quarta maior economia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, Japão e  muito perto da Alemanha.

Vários estudos indicam que a recessão americana afectará directamente a economia chinesa, provocando uma queda no crescimento anual do PIB de 11,4% em 2007 para 8,2% em 2008.

A China tem intenção de construir cerca de 200 mil hotéis, complexos turísticos e resorts até 2015.

 

Fontes:

The World Air Conditioning Market in 2007 / The chinese air conditioning market 2007 - BSRIA Worldwide Market Intelligence Limited

World HVAC Equipment - The Freedonia Group, Inc

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições