2019-05-27
Mais ambição nos PNEC, reclamam associações europeias para as renováveis
David Alvito

As associações europeias ligadas às energias renováveis estão a pedir mais ambição às autoridades nacionais relativamente aos Planos Nacionais de Energia e Clima (PNEC). Num documento assinado por várias associações europeias, os diversos organismos europeus representativos do sector apelam aos vários governos para que vão mais além nos objectivos e nas medidas propostas nos PNEC, que, no caso português, se encontra em consulta pública até ao próximo dia 5 de Junho.

 

Para as várias associações do sector das energias renováveis, para que a União Europeia seja líder no sector, de modo a comandar a luta contra as alterações climáticas, as suas políticas, aos níveis europeu e nacional, devem apostar claramente na ajuda ao aumento da quota de energias renováveis na procura final de energia, nos sectores da electricidade, aquecimento e arrefecimento e transportes. De acordo com a argumentação das associações, esta aposta trará, claramente, benefícios futuros, como a criação de mais empregos, mais inovação tecnológica, desenvolvimento de infra-estruturas a vários níveis, entre outros.

 

Recorde-se que, recentemente, no seguimento do pacote Energia Limpa para Todos os Europeus, da Comissão Europeia, foi aprovada a meta de 32 % de energias renováveis, em 2030 – valor que os investidores consideram mínimo para ir ao encontro dos objectivos definidos no Acordo de Paris.

 

O PNEC português está em consulta pública até dia 5 de Junho, período em que está aberto a receber vários contributos para a elaboração do documento final. De acordo com o ministério do Ambiente e da Transição Energética, “o PNEC será o principal instrumento da política energética e climática para a década 2021-2030. A ambição e a determinação de Portugal para estar na vanguarda da transição energética materializa-se em metas ambiciosas para 2030, das quais se salientam a redução entre 45 e 55 % das emissões de gases com efeito de estufa relativamente aos níveis de 2005 e o aumento da quota de energia proveniente de fontes renováveis no consumo final bruto para 47 %”.

 

Entre as várias associações que subscreveram esta posição conjunta estão a EHPA - European Heat Pump Association, a Bioenergy Europe, a EBA - European Biogas Association, a Solar Heat Europe, a EUREC - The Association of European Renewable Energy Research Centres, a Ocean Energy Europe, a EGEC - European Geothermal Energy Council, a EREF - European Renewable Energies Federation e a ESTELA - European Solar Thermal Electricity Association. Poderá consultar o documento assinado pelas várias associações através do portal https://bioenergyeurope.org/24324-2/

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições